3 DICAS PARA UM AMBIENTE ACESSÍVEL

Acordar de manhã, levantar da cama, ir correndo ao ponto de ônibus, ou descer as escadas do metrô e andar até o trabalho. Para você essas ações são parte de uma rotina, mas para uma grande parte da nossa população isso é um privilégio. Só quem é portador de alguma deficiência sabe como a acessibilidade é importante no ambiente de uso comum. Faltam políticas públicas nos lugares coletivos e no mercado de trabalho não costuma ser diferente. Inclusive, existem empresas que optam por não trabalhar com as Pessoas com Deficiência (PCDs).

Algumas até ignoram a Lei de Cotas para Deficientes, de 1991, e a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, de 2015. Elas garantem o direito ao trabalho às pessoas com algum tipo de deficiência (física, visual, auditiva e intelectual), assim como as chamadas deficiências “não visíveis” (pessoas que utilizam próteses nos membros inferiores, etc.). Funciona assim: empresas com 100 a 200 colaboradores precisam ter no seu quadro de funcionários, ao menos, 2% de portadores de deficiência. O percentual aumenta conforme a quantidade de pessoas na organização. Quem não cumpre a lei pode receber multas (no plural) do Ministério do Trabalho. Mesmo assim, se você estiver lendo esse artigo num ambiente corporativo, olhe para os lados e procure por pessoas portadoras de deficiência. Difícil de encontrar alguém não é mesmo?

Para quem assumiu essa responsabilidade aqui vão três dicas para deixar o seu ambiente de trabalho mais acessível:

1 – Outra Cabeça.

Todo mundo sabe que uma escada é um desafio para um cadeirante ou pessoa com mobilidade limitada. Contudo, para um ambiente realmente focado na acessibilidade é necessário ter um pensamento mais amplo que esse. O menor dos degraus é limitador, mas, além deles, é preciso focar nos banheiros, nas portas, nas mesas, no elevador, entre outros. Enfim, não basta colocar uma rampa e achar que resolveu tudo.

2 – Cores Vibrantes e Obstáculos

Para ajudar quem possui visão parcial ou reduzida, use cores fortes e chamativas, principalmente para indicar lugares perigosos como escadas. Também vale ressaltar que é ideal evitar obstáculos para esse tipo de deficiência. A maioria das pessoas foca em tirar as coisas do chão, porém obstáculos aéreos como, por exemplo, extintor de incêndio, placas, quinas, televisões, caixas de som, costumam ser esquecidas. Tudo o que estiver na altura do corpo de alguém e puder machucar deve ser evitado, ou reposicionado.

3 – Fluente

Para pessoas com problemas da fala é necessário ter um interlocutor interno que fale fluentemente libras. Hoje em dia, a maioria das demandas pode ser feita por mensagens de e-mail ou de aplicativos. Porém, ter alguém que consiga se comunicar com seu funcionário ajuda na convivência social e o motiva no trabalho.

Essas são as três dicas de ouro para receber PDCs em qualquer ambiente de trabalho. E não se esqueça, somos todos iguais, apesar de parecermos diferentes.

68